Home

Fundação civil do Grande Oriente Maçônico de Pernambuco

Em momento histórico, a maçonaria pernambucana faz surgir o Grande Oriente Maçônico de Pernambuco, herdeiro e sucessor do Grande Oriente e Supremo Conselho para o Norte do Brasil e do Grande Oriente de Pernambuco fundado em 02 de dezembro de 1926, o qual mantém altivos os princípios da Liberdade, Igualdade e Fraternidade que sempre foram as bandeiras dos bravos obreiros da “Terra dos Altos Coqueiros”.

Surpreendidos com a audácia e empáfia da obediência nacional a que estavam federados até o ano de 2018, os obreiros do Grande Oriente de Pernambuco receberam atônitos, em março daquele ano, a tentativa vã da referida obediência de interferência civil na associação pernambucana (GOPE), através de um ato de intervenção sem quaisquer bases e requisitos legais para tal. Em contrapartida à brutal agressão aos direitos civis de todos os associados diretos do Grande Oriente de Pernambuco, que pretendia num golpe de força a retirada do comando da entidade estadual, para privilégio de um grupo específico, os maçons pernambucanos não pestanejaram nem vacilaram em denominar a então intervenção como ato nulo de pleno direito e uma afronta terrível aos direitos civis e mais ainda, uma ruptura dos princípios maçônicos então defendidos pelas duas entidades.

No dia 26 de abril de 2018, foi então decretada a desfederalização do Grande Oriente de Pernambuco das amarras maçônicas que o ligavam à então obediência nacional, passando então as lojas e obreiros pernambucanos a não mais possuírem uma federação vinculante mas sim afirmando agora a sua autonomia e independência no território nacional, como associação civil autônoma que sempre foi e do ponto de vista maçônico mantendo toda a sua regularidade de origem (fundado em 02 de dezembro de 1926, livre e independente) e princípios de regularidade da mais pura e sublime maçonaria universal.

No dia 16 de março de 2019, os veneráveis das lojas jurisdicionadas, representantes legais e legítimos de cada oficina filiada, assinaram em assembléia geral a alteração estatutária definitiva para a constituição civil da nova entidade denominada a partir de agora como Grande Oriente Maçônico de Pernambuco, entidade que congrega atualmente 17 lojas distribuídas na Capital e no interior do Estado, que continuarão o trabalho dos bravos heróis de 1926 que construíram um legado de uma maçonaria de valores incontestes, imbuídos da mais forte pernambucanidade e que jamais se dobraram ao julgo da tirania e da opressão, sempre inspirados pelos mártires de 1817.

“Que liberdade é essa se a língua é escrava!” (Frei Caneca)

Viva o povo maçônico de Pernambuco, Pátria da Liberdade!

A União, a Família e o Trabalho vão continuar!